Notícias


Para deputado Jean Kuhlmann, corte do orçamento do Sistema S é uma ameaça ao trabalhador catarinense

Postado em: 22/09/2015

Foto: Eduardo Guedes de Oliveira, Alesc


O deputado estadual Jean Kuhlmann ocupou a tribuna da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (dia 22) para destacar a mobilização catarinense contra o a proposta do governo federal que tira 30% das verbas do Sistema S, com objetivo de cobrir o déficit da Previdência.

O Sistema S do Brasil tem receita anual próxima a R$ 20 bilhões. A União quer ficar com R$ 8 bilhões desse total. Trata-se do conjunto das entidades corporativas voltadas para o treinamento profissional, assistência social, consultoria, pesquisa e assistência técnica. Entre elas, estão o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), o Serviço Social do Comércio (Sesc), o Serviço Social da Indústria (Sesi) e Serviço Nacional de Aprendizagem do Comércio (Senac).

"Só as duas maiores federações empresariais do Estado, a Fiesc e a Fecomércio SC, estimam 4,9 mil demissões nos serviços ligados à Indústria e o Comércio. Somando as demais entidades do sistema, serão extintos 5 mil empregos em Santa Catarina", lembrou Jean.

Durante a agenda do Encontro Brasil-Alemanha, promovido segunda e terça-feira em Joinville, o presidente da Fiesc, Glauco José Côrte, informou que a indústria terá que fechar 3,3 mil empregos diretos no Sesi e Senai, suspender 40 mil vagas em cursos profissionalizantes e fechar 50 escolas caso o Sistema S perca 30% da receita anual.

Já Bruno Breithaupt, presidente da Fecomércio, prevê demissão de 1,6 mil trabalhadores no Estado que atuam no Sesc e Senac, fechamento de 20 mil vagas de cursos, além de suspensão de vários serviços de saúde, educação e cultura.

"Só pelas declarações dos dois presidentes, falamos em 60 mil vagas em cursos de aprendizagem extintas. O Sistema S ensina o filho do trabalhador, o trabalhador que precisa se qualificar para garantir seu sustento. Aí estamos no Encontro Brasil-Alemanha discutindo qualificação, valor agregado, tecnologia, inovação e ao mesmo tempo cortando recursos de um sistema que ensina tudo isso. É um contrassenso", adverte o deputado.

Jean Kuhlmann participou do encontro em Joinville na condição de coordenador da Frente Parlamentar da Inovação Catarinense, e destacou em seu pronunciamento assuntos importantes da pauta de discussões, entre os quais a inovação nas indústrias e no futuro das relações comerciais; os desafios enfrentados pelos municípios brasileiros na área de tratamento de dejetos e resíduos sólidos; e a mobilidade urbana.